domingo, 14 de fevereiro de 2010

Notas finais MyESIG 2010 (1ºparte)


Chegou ao fim o 11º Encontro Ibérico de Utilizadores de Informação Geográfica. Durante 3 dias, estiveram reunidos no Centro de Congressos e Hotel Lagoas Park (Oeiras),  utilizadores, produtores, investigadores e estudantes que utilizam os SIG's nas mais diversas áreas do saber. 

1ºDia
Foi mais prático - com vários Woorkshoops a decorrer em simultâneo, os participantes poderam aprender a usar certas ferramentas (Arc Gis online e soluções gratuitas da tecnologia ESRI; Autodesk: modelos digitais de cidades - apoio à decisão e integração de CAD, BIM e SIG; GeoServer; GeoWeb Services; Open Street Map; Open Layers) ou conhecer vários projectos europeus que estão a ser desenvolvidos (Snig; Gis4Eu; Euradin).

2º Dia
A manhã foi dedicada à apresentação de projectos europeus (Gis4Eu, eSDINet +; GS Soil).



Euradin - O objectivo deste projecto, co-financiado pela União Europeia, é harmonizar os endereços na Europa, propondo uma solução para atingir a sua interoperabilidade e facilitar assim o  seu acesso, reutilização e pesquisa. A sua concretização promoverá a criação de novos produtos e serviços de valor acrescentado.



Gis4Eu - Na Europa, a informação espacial, é caracterizada pela falta de harmonização entre os conjuntos de dados a diferentes escalas geográficas, com distintas bases de dados  e diferentes fontes, existem lacunas na disponibilização da informação geográfica oa público em geral e duplicações de informação. Assim, o GIS4EU tem como objetivo fornecer conjuntos de dados de cartografia de base (unidades administrativas, hidrografia, redes de transporte e altitude) para a Europa, assegurando o cruzamento de escalas e  linguagem e permitindo a sua interoperabilidade e acessibilidade de acordo com as normas  e exigências da directiva INSPIRE (2007 / 2/EC).

A abordagem consiste no desenvolvimento de um modelo de dados comum, bem como na sua harmonização e agregação, seguindo algumas regras  e orientações a fim de permitir o acesso aos dados geográficos de referência,  de forma coerente e  homogénea, fornecidos por autoridades de diferentes países e níveis (nacional, regional e local), sem construir uma base de dados central e serviços.

eSDI-NET+ - é uma rede europeia para a promoção do diálogo entre os estados-membros e a partilha de informação no que toca a Melhores Práticas na área das Infra-estruturas de Dados Geográficos (SDI).

GS Soil - o projecto decorre actualmente no âmbito do programa eContentPlus, visa criar um portal e uma rede de serviços de Informação Geográfica harmonizada sobre os Solos à escala Europeia e em conformidade com os requisitos e os objectivos gerais do anexo 3 da Directiva INSPIRE.

 
Projectos Ibéricos

SNIG -  O Sistema Nacional de Informação Geográfica (SNIG) é a infra-estrutura nacional de dados espaciais e, através do seu geoportal, permite pesquisar, visualizar e explorar a informação geográfica sobre Portugal, produzida pelas entidades oficiais e também por privados. É igualmente um espaço de contacto para dinamizar, articular e organizar as actividades ligadas à informação geográfica em Portugal e no contexto da directiva europeia INSPIRE (INfrastructure for SPatial InfoRmation in Europe). O SNIG e o IDEE estão a colaborar  conjuntamente para que os dois sistemas sejam interoperáveis entre si.


Durante a manhã foi também apresentada a Infra-estrutura de Dados Espaciais Espanhola (IDEE) e os seus últimos avanços. Tendo em conta o tamanho do país, é curioso como em 5 anos conseguiram montar um geoportal com mais de 750 serviços WMS, mais de 3.000 layers de informação, interfaz em 7 idiomas, um serviço de nomenclatura com uma base de dados de 500.000 nomes geográficos, um catálogo de metadatos com mais de 40.000 registos e um  catálogo de serviços, entre outros aspectos. Tudo isto graças à colaboração entre as diferentes entidades, trabalho colectivo, partilha de informação, estabelecimento de parcerias e consensos,  e criação de uma comunidade informada e formada. Como referiu António Rodriguez: "...la IDE es una revolución, una forma de trabajo diferente, por lo tanto el concepto central son los servicios, no los datos!... estamos en un cambio... ni siempre preciso de los datos, pero de respuestas..."

A tarde foi marcada por sessões paralelas ligadas à apresentação de soluções SIG's nas autarquias, Recursos Naturais, Detecção Remota e visualização de dados geográficos. Entre outras, que se podem ver aqui, foram interessantes a apresentação de Dirk Tilsner com o projecto JaguarPlan - com aplicação de técnicas de Detecção Remota de suporte à gestão de riscos naturais e seguros agrários na América Latina e Caraíbas (região LAC). A apresentação de António Silva  sobre a aplicação  FOSS WEB SIG Participação Cívica desenvolvida em open source e disponivel gratuitamente para uso de todos.

2 comentários:

Angela disse...

Que bom que trouxeram as novidades para aqui, para aqueles, como eu, que não conseguimos assistir!
Parece que foi bastante interessante...Continuem a partilhar e trabalhar tão bem, que eu sigo por cá para aprender com vocês!

Besos y gracias!

Lisete Osório disse...

foram 3 dias muito intensos, e ainda estamos a assimilar muita coisa. Houve muitas apresentações, muitos expositores, muita informação... e é impossivel escrever sobre tudo o que se passou! vamos ainda escrever mais um post com algumas, das muitas, coisas que vimos no último dia! bjinhos