sábado, 29 de maio de 2010

Dia do Geógrafo

Hoje, 29 de Maio de 2010 comemora-se o Dia do Geógrafo.

Como surgiu a Geografia?
Os chineses foram os primeiros geógrafos dos quais se tem notícia. O primeiro compêndio geográfico da China foi elaborado no século IV a.C. e uma enciclopédia geográfica chinesa de 200 capítulos data de 993 d.C.  

Qual o objecto de estudo da Geografia?
A Geografia não é simplesmente a memorização de mapas, capitais e rios. Para isso temos os Atlas! A Geografia vai mais além disso. É o estudo da relação do Ser Humano com o Ambiente. Esta ciência não estuda apenas como se distribuem  as diversas actividades humanas (agricultura, indústria, comércio, serviços) pelo território, mas também  a  relação entre estas actividades e a sua localização geográfica. Por isso, torna-se útil no campo do planeamento urbano, dos negócios e do geomarketing.
As empresas usam esta ciência para delimitar mercados de actuação, fazer estudos de viabilidade económica e localização óptima.
Os Geógrafos também podem fazer planos de emergência municipal, PDM's, PP's, PU's, planos de desenvolvimento estratégico, estudos de percepção de riscos, entre outros.
Além disso, pode contribuir para o planeamento sustentável da utilização dos recursos.
A Geografia divide-se em dois grandes ramos: a física e a humana. A Física está relacionada o estudo ods elementos naturais da superfície terrestre. Ela visa proporcionar uma visão das influências ambientais que afectam o homem em cada local do planeta., enquanto que a Humana se foca nas relações entre o Ambiente e o ser humano.

Que ferramentas usa?
De entre as ferramentas de trabalho que um Geógrafo usa, destaca-se os mapas, as estatísticas, o SPPS, GIS/SIG, o GPS, os questionários/entrevistas,  entre outros.

O que é ser geógrafo no século XXI?
Um profissional capaz de interpretar a realidade, fazendo a análise do espaço da natureza e da sociedade.
Um profissional que considera que “nada é permanente além da mudança”.
A mudança
“A mudança começa por mim mesmo que,
como motor e reflexo, crio o futuro no presente
e o colectivo no pessoal em processo dialéctico.
A pureza desse futuro reluz
na pureza dos meios imediatos escolhidos
para realizá-lo aqui e agora”. Leonardo Boff

Ser geógrafo...
Ser geógrafo é fazer a mudança e começar por si mesmo.
É pesquisar, descrever, analisar, correlacionar, interpretar, reflectir e ensinar respeitando a vida, a natureza e a sociedade, não como coisas e seres desfrutáveis, mas como seres dignos de respeito, como semelhantes.
Ver cada coisa com importância e cada coisa como parte de um todo, o cosmos.




8 comentários:

Angela disse...

Meus parabéns então aos geógrafos todos! Tão necessarios sempre e mais nestes de grande mudanças ;)
Beso!

Lisete disse...

Obrigada por passar e comentar!
O teu é amanhã, sabias?! :) beijos

Anónimo disse...

eu sou quase Geografa... mas falta o quase:)

Parabéns a todos:)

Lisete disse...

Parabens futura Geógrafa e muitas felicidades no "novo estilo de vida" que vais iniciar. Porque mais que uma profissão é uma forma de estar na vida! :)
Beijos

Anónimo disse...

È um orgulho imenso pertencer a esta família da Geografia. No meu entender, a mais útil das ciências, pois nós não nos especificamos num unico ramo, nós vamos bem mais alem, onde mais ninguém se aventura a chegar.

A Geografia está viva, e continuará a crescer, mais e mais!

Parabéns, atrasados, a todos os GEOGRAFOS, especialmente aos portugueses, pois não é fácil sê-lo em Portugal!

Lisete disse...

Bom dia, caro colega! obrigada pelo contributo, e bem-vindo a este espaço!

Apesar de sermos cada vez mais úteis na sociedade é também cada vez mais difícil sermos reconhecidos e entrarmos no mercado de trabalho.

Obrigada e saudações geográficas!

Anónimo disse...

Bem vou ser um pouco crítico com este poste, a partir do segundo paragrafo em algumas das afirmações que escreveu sobre a Geografia.

Antes demais sou Engenheiro Físico, tenho uma empresa perto de Ovar na área da telemetria. Trabalho tanto para empresas privadas como públicas e conheci bastantes geógrafos ao logo de todos os projectos. É com base deste conhecimento que respondo a tais afirmações e com muita pena minha, não vejo a Geografia como um grande CURSO no seu diverso sentido.

"A Geografia não é simplesmente a memorização de mapas, capitais e rios. Para isso temos os Atlas!"

Se um geógrafo não faz do Atlas o seu verdadeiro livro de anatomia, não sei qual das ciências o fará de forma exacta?!?! Até porque se ele não saber localizar países não percebo como podeis trabalhar com ferramentas SIG e tudo que deriva desta ferramenta como Datum´s Sistemas de Cordeadas e por aí fora.

Por outro lado a geografia deve ser especializada, tal como fazem as áreas da Engenharia e Arquitectura, porque meter tudo no mesmo caldo FÍSICA, HUMANA e ENSINO numa licenciatura não dá bom resultado para a construção e formação de um geógrafo. E falo com alguma experiência porque já trabalhei com alguns em Câmaras Municipais e o resultado é pouco negativo no que toca à produtividade e visão espacial.

"Esta ciência não estuda apenas como se distribuem as diversas actividades humanas (agricultura, indústria, comércio, serviços) pelo território, mas também a relação entre estas actividades e a sua localização geográfica."

Tem toda a razão nesta frase tão poética, mas fico um pouco admirado de não ter conhecimento até hoje de um geógrafo numa no sector da banca ou industria a dar visibilidade ou impondo as suas mais valias dentro e fora de uma empresa... talvez um dia venha a conhecer...

"As empresas usam esta ciência para delimitar mercados de actuação, fazer estudos de viabilidade económica e localização óptima."

Sim tem toda a razão nesta frase.
Eu próprio sinto isso e vejo o grande mercado da geografia.

"Os Geógrafos também podem fazer planos de emergência municipal, PDM's, PP's, PU's, planos de desenvolvimento estratégico, estudos de percepção de riscos, entre outros."

Claro que podem e são importantes, mas na hora de fazer o trabalho duro e de grande análise com termos de responsabilidade super acrescida isso são os engenheiros que acabam por o fazer infelizmente. Muitos dos geografos que se contratam acabam por ficar a rasgar papeis nas secretarias...

"A Física está relacionada o estudo dos elementos naturais da superfície terrestre. Ela visa proporcionar uma visão das influências ambientais que afectam o homem em cada local do planeta., enquanto que a Humana se foca nas relações entre o Ambiente e o ser humano."

Sim, desse ponto de vista concordo planamente, agora tem que falar com os Departamentos de Geografia das diversas Universidades que estruturem os cursos da seguinte forma:

Geografia Humana:

Só cadeiras humanas.

Geografia Física:

Só cadeiras de física.

Via Ensino.

Humana e Física.

Quando os Departamentos de Geografia fizerem isto VERDADEIRAMENTE aí talvez a geografia encontrará o seu verdadeiro caminho para o sucesso.

Estarei atento ao seu comentário, e dependendo daquilo que me argumentar com bons conhecimentos e exemplos práticos que me permitam verificar a uma distância de um clique eu retirarei alguma das minha dúvidas.
Mas quero lhe dizer que tenho preparado muitas situações práticas, que na qual pode verificar, do mal profissionalismo que o seu curso erra todos os dias.

Boa continuação...

Lisete Osório disse...

Obrigada pelo comentário.
A maioria das pessoas recua aos anos de estudante e relaciona a Geografia com os mapas, os nomes dos rios, continentes, montanhas, países, capitais de países, etc.

A Geografia é mais do que isto, o objecto de estudo da geografia é muito mais amplo e abarca temas como o Ambiente, Ordenamento do Território e planeamento estratégico, desenvolvimento económico, gestão de projectos, avaliação de políticas públicas, turismo, Sistemas de Informação Geográfica, Cartografia digital, análise estatística, entre outros. Desde, 2001 que a Legislação Portuguesa reconhece a profissão e as suas diferentes áreas de actuação através do Despacho nº 20 160/2001. (http://dre.pt/pdf2sdip/2001/09/223000000/1619716197.pdf)
Quando diz “Por outro lado a geografia deve ser especializada” concordo, apesar de que em em Portugal, em todas as universidades há especializações e ninguém sai licenciado apenas em Geografia, mas sim numa das suas diferentes áreas! Também concordo com a reformulação dos cursos.
Porém, em algumas das afirmações que profere vejo algumas incongruências. Primeiro refere que “não vejo a Geografia como um grande CURSO no seu diverso sentido.”, mas a certa altura diz “Sim tem toda a razão nesta frase. Eu próprio sinto isso e vejo o grande mercado da geografia.” E mais abaixo, vai mais longe ao reconhecer a nossa importância nestes processos, quando menciona: “Claro que podem e são importantes, mas na hora de fazer o trabalho duro e de grande análise com termos de responsabilidade super acrescida isso são os engenheiros que acabam por o fazer infelizmente.”
Considero que todas as profissões são importantes e que algumas devem trabalhar em colaboração com outras para chegarmos a resultados mais profícuos.
Quando diz: “Mas quero lhe dizer que tenho preparado muitas situações práticas, que na qual pode verificar, do mal profissionalismo que o seu curso erra todos os dias.”
Não somos nem mais nem menos que outros profissionais.A Geografia não é o centro dos saberes, nem uma ciência periférica. “Errar é humano”! Além disso, também estão aos olhos de todos os erros de engenharia e as atrocidades que se podem verificar um pouco por todo o lado, basta estar um pouco atento. E só para exemplo, cito o caso da Ponte Europa, actualmente com o nome de Rainha Santa Isabel, em Coimbra, em que um dos pilares foi construído em cima de sedimentos do leito fluvial do rio Mondego, em vez de ser construído em cima de rocha sólida, o que levou a que uma parte da ponte ficasse desnivelada em relação à outra, o que contribuiu para a derrapagem financeira do projecto e obrigou à contratação de especialistas estrangeiros para resolver os erros de engenharia portuguesa. No fim, quem paga todo isto é o contribuinte!
Também já vi PDM’s feitos exclusivamente por engenheiros e não vou comentar … O “problema” é que pensa a uma escala limitada. E, por vezes, necessita da integração de outros profissionais de outras áreas do conhecimento para o sucesso dos projectos.
Está mais que comprovado que o sucesso de um projecto depende da integração de uma equipa interdisciplinar!
Cumprimentos