segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Sobreiro declarado Árvore Nacional de Portugal


Imagem: Distribuição geográfica do sobreiro em Portugal
Fonte: http://arvoresdeportugal.free.fr/IndexArborium/Janela_distribuicao_do_sobreiro.htm

O sobreiro (Quercus suber Lé desde Dezembro de 2011, a Árvore Nacional de Portugal, juntando-se à bandeira e ao hino como símbolo nacional. A decisão foi tomada com a aprovação do projecto de Resolução 123/XII  na Assembleia da República e com a reunião de 2291 assinaturas em petição pública. Segundo o Projecto de Resolução, esta designação visa: "contribuir para tornar mais visíveis alguns dos problemas associados à preservação desta espécie, contribuindo, simultaneamente, para se alcançarem as soluções necessárias, e que esse seria um precioso contributo da Assembleia da República para a celebração do Ano Internacional das Florestas em Portugal - 2011, instituído pela Assembleia Geral das Nações Unidas."

Especie comum na região mediterrânea, o sobreiro é espontâneo em Portugal, nas planicies e encostas pouco elevadas, abaixo dos 500m de altitude, gosta de humidade do ar e de solos que não sejam calcários, relativamente profundos e férteis. Não suporta bem as geadas, mas tolera bem os climas com periodos estivais secos e pluviosidade baixa, típicos do sul de Portugal.

Segundo o último Inventário Florestal Nacional, em 2006, o sobreiro é uma árvore mediterrânea que ocupa cerca de 737 mil hectares dos 3,45 milhões de floresta em Portugal.  Actualmente,  o sobreiro é responsável por 10% das exportações nacionais, nomeadamente em termos de produção de cortiça, onde Portugal continua a ser o maior produtor a nível mundial. Para além da cortiça, retira-se a bolota para alimentação do gado suino,  a lenha para aquecimento doméstico e do entrecasco dos ramos com cortiça virgem extraem-se os taninos.

Apesar de se encontrar sob protecção legal desde 2001, a árvore continuou a ser abatida ao longo dos anos.  Agora, com o novo estatuto, espera-se finalmente a sua preservação e conservação no território português.

Sem comentários: